Institucional

SINOBRAS, dinamismo e flexibilidade que superam desafios

A indústria siderúrgica é considerada um forte indicador de progresso econômico devido ao papel desempenhado pelo aço na infraestrutura e no desenvolvimento econômico do país. Um exemplo positivo é o da SINOBRAS - Siderúrgica Norte Brasil S.A. - primeira siderúrgica integrada das regiões Norte e Nordeste, que há 13 anos contribui com o desenvolvimento do estado do Pará e de toda a região Norte.

 

A empresa possui capacidade produtiva de 380 mil toneladas de aço, com um mix de produtos comercializados em todas as regiões do Brasil e um atendimento logístico diferenciado. Com a produção de aço voltada para o mercado nacional, a SINOBRAS teve no último ano um faturamento de R$ 1,1 bilhão, consolidando-se como uma das grandes indústrias do Pará.  Atualmente, emprega 1.300 pessoas e gera 16.700 empregos indiretos, colaborando com o fluxo econômico e a geração de renda.

 

A SINOBRAS faz parte do Grupo Aço Cearense, que tem 40 anos de atuação no mercado brasileiro, e oferece aos clientes produtos em aços longos para a construção civil, como vergalhões SI-50 e SI-60, treliças, arame recozido, tela e tela coluna.

 

A SINOBRAS é associada ao Instituto Aço Brasil, entidade representativa das produtoras de aço brasileiras. Os associados operam usinas integradas e semi-integradas, ofertando uma ampla gama de produtos siderúrgicos que permitem atender plenamente o mercado interno e manter forte posição exportadora, situando o setor entre os principais geradores de saldo comercial do Brasil.

 

Desenvolvimento de fornecedores locais

 

A SINOBRAS é mantenedora da Rede – Inovação e Sustentabilidade Econômica, uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA) que atua com foco em sustentabilidade econômica no ambiente de negócios, potencializando o crescimento e a evolução dos fornecedores paraenses, por meio do mapeamento de novos investimentos.

 

Para a escolha dos fornecedores de bioredutor na região, a SINOBRAS conta com rigoroso processo para certificar-se da procedência, qualidade e legalidade do material que está sendo adquirido e do regime de trabalho empregado. São feitas visitas às instalações do pretenso fornecedor para avaliar as condições gerais, seguindo os mesmos critérios estabelecidos pelas leis que definem o trabalho, como a CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) e demais Normas Regulamentadoras editadas pelo MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), e as instalações do empreendimento para segurança do trabalhador e produção do bioredutor.

 

Em seguida, o interessado na venda do material passa por uma auditoria, apresenta documentação comprobatória de origem do material, pagamento de impostos e regularidade trabalhista. Uma vez aprovado, o contrato é homologado e informado ao órgão ambiental – SEMAS/PA. Periodicamente, fiscais de campo da SINOBRAS vão às carvoarias para comprovar se a matéria prima, a quantidade de fornos, o regime trabalhista e todas as demais características condizem com o que foi contratado e se estão de acordo com as leis vigentes.

 

Sustentabilidade na essência 

 

A SINOBRAS é a maior recicladora do Norte/Nordeste brasileiro, produzindo aço com 70% de sucata e 30% de ferro-gusa líquido. Comprometida com o meio ambiente, tem o seu próprio fornecedor de redutor bioenergético (material utilizado na produção do aço), a SINOBRAS Florestal, empresa do Grupo Aço Cearense que possui 15 fazendas próprias de plantio de eucalipto, em uma área de 25 mil hectares.

 

Com forte atuação no desenvolvimento das comunidades de onde atua e na conservação do meio ambiente, a SINOBRAS investe em sustentabilidade acompanhando a tendência da economia circular, que se baseia nos princípios de eliminar a poluição, manter produtos em ciclo de uso e regenerar os sistemas biológicos naturais. Com isso, a empresa não se limita apenas a reduzir os impactos negativos causados pelo sistema de produção, mas se compromete com uma mudança sistêmica a longo prazo, criando oportunidades de negócios que contribuem para os cuidados ambientais, econômicos e sociais.

 

No processo de Sinterização são reaproveitados os coprodutos gerados durante o processo de produção do aço e produzido o sínter, matéria-prima utilizada como parte substituta do minério de ferro na produção do gusa.

 

A logística reversa é outra prática de preservação ambiental realizada, aplicada em baterias, que, após o final de sua utilização, são encaminhadas para o fabricante e recebem destinação correta. Da mesma forma acontece com os pneus, que são encaminhados para ecopontos.

 

A destinação de óleos lubrificantes após o uso, é feita com o rerrefino de óleo lubrificante usado ou contaminado (oluc). Esse processo transforma o óleo usado em óleo básico novamente, por meio de empresas parceiras, evitando que esse resíduo perigoso seja descartado no meio ambiente.

 

Em sua área operacional, toda a água usada no processo de produção é recirculada, sendo reaproveitada em 98,35%. A empresa possui ainda um sistema de despoeiramento, que capta partículas sólidas geradas durante a produção de aço na Aciaria. Esse sistema tem capacidade de 800 mil N/m3 (normal metros cúbicos por hora). Mais de 9 milhões de N/m3 de gases gerados na unidade de Altos-Fornos são reaproveitados mensalmente na laminação dos tarugos de aço.

 

Demonstrações Financeiras

Para ter acesso ao relatório de demonstrações financeiras de 2018 clique aqui.

Para ter acesso ao relatório de demonstrações financeiras de 2017 clique aqui.

Para ter acesso ao relatório de demonstrações financeiras de 2016 clique aqui.

Para ter acesso ao relatório de demonstrações financeiras de 2015 clique aqui.

Para ter acesso ao relatório de demonstrações financeiras de 2014 clique aqui.

Para ter acesso ao relatório de demonstrações financeiras de 2013 clique aqui.