Institucional

SINOBRAS FLORESTAL

Engajada com a missão de atuar no mercado do aço de forma sustentável, a SINOBRAS Florestal, fundada em 2006, fornece redutor bioenergético para a SINOBRAS. São 15 fazendas próprias de reflorestamento de eucalipto, em uma área de 25.100 mil hectares de área de reserva legal e quase 16 mil hectares com florestas maduras que suportam duas estruturas de carbonização.

Responsabilidade Ambiental

Produzir bioredutor com responsabilidade ambiental é uma das diretrizes da SINOBRAS Florestal. Por isso, a empresa instalou, no município de São Bento de Tocantins (TO), duas Unidades de Produção de Redutor Bioenergético – UPR. A primeira bateria de 24 fornos retangulares equipada com queimadores de fumaça, instalada na fazenda Santa Lúcia, e a segunda bateria de 22 fornos, instalada na fazenda São Martinho, produzem o carvão vegetal que é utilizado pela SINOBRAS, em Marabá. 

Contribuição social 

Fazem parte do posicionamento da SINOBRAS Florestal a mudança de realidade e a melhoria contínua da vida das pessoas que atuam em seu processo produtivo. A busca constante de melhorias operacionais e da substituição de operações manuais por mecanizadas tem possibilitado o crescimento profissional de forma responsável.

Em épocas de plantio, as fazendas demandam 169 empregos diretos e 1.000 indiretos, contribuindo para o incremento socioeconômico da região e destacando a empresa como um referencial no que diz respeito à empregabilidade. Prova disso é que a SINOBRAS Florestal recebeu das prefeituras de Araguatins e São Bento do Tocantins, onde estão instaladas suas fazendas, o reconhecimento de maior empregadora de serviços no setor privado.

Ações realizadas pelo Programa de Reflorestamento

Em seu processo administrativo, a SINOBRAS Florestal cumpre com todas as legislações ambientais e trabalhistas no âmbito estadual e federal, pertinentes ao seu negócio. A empresa tem continuamente adequado a sua estrutura física às novas exigências e bem-estar de seus colaboradores.

Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo

Além da geração de empregos, a SINOBRAS Florestal é sensível e comprometida ao tratar do setor, por isso participa do projeto de contratação de trabalhadores resgatados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em regime análogo ao de escravidão. Para completar, as empresas fazem parte do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo, que reúne empresas brasileiras e multinacionais que assumiram o compromisso de não negociar com quem explora o trabalho escravo.  A gestão do Pacto é realizada pelo Comitê de Coordenação e Monitoramento, composto pelo Instituto Ethos, o Instituto Observatório Social (IOS), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a ONG Repórter Brasil.